O que é o Ornamento?

Stefano Graziani, Santa Maria in Portico in Campitelli (1667) Carlo Rainaldi, Rome, 2016

O que é Ornamento? é uma grande questão, que tem como objectivo reconfigurar a discussão sobre ornamento, focando particularmente a sua apropriação e interpretação actuais. Ao tentar encontrar respostas possíveis, a exposição mostra a complexidade de uma narrativa multifacetada, que analisa a própria essência do ornamento. Efectivamente, ela reage ao que parece ser o corrente retorno fresco, autoconfiante e jovial do ornamento, entendido no seu sentido pré-digital, para lá da sua iteração superficial do início dos anos 2000. Hoje parece natural investigar-se as forma e proporção contemporâneas de uma coluna; considerar cuidadosamente as junções entre os elementos; questionar a natureza do revestimento, como um projecto, e não como uma consequência; projectar fachadas expressivas com imagens e tipografia; e vestir superfícies com padrões, motivos, texturas, materiais e cores.

Christ Gantenbein, List Customer Centre Arisdorf, 2011–2015

Como pode o ornamento ser reconsiderado hoje como parte integrante da arquitectura? Qual é a sua posição exacta? Onde pode ele existir? Quais são o seu impacto e o seu valor? Ainda podemos falar sobre ornamento como uma opção quantitativa ou qualitativa? O que é ornamento? é uma tentativa de procurar respostas abertas, organizada em seis salas.

Curadores
Ambra Fabi (IT)
Ambra Fabi curadora da exposição O que é o ornamento?
Ambra Fabi é arquitecta e co-fundadora do estúdio Piovenefabi, com Giovanni Piovene. Com formação na Universidade do Mendrisio, trabalhou no atelier de Peter Zumthor e como freelancer, em Milão. Foi professora assistente na Academia de Arquitectura de Mendrisio e docente na Universidade Católica de Leuven e no Instituto Europeu de Design de Cagliari. Actualmente, lecciona na Escola de Arquitectura de Marne-la-Valléé, em Paris.
Giovanni Piovene (IT)
Giovanni Piovene Curador da exposição O que é o ornamento?
Giovanni Piovene formou-se em arquitectura em Veneza e fundou, com Ambra Fabi, o estúdio Piovenefabi. Em 2007, foi co-fundador do escritório Salottobuono, em 2010, da revista San Rocco e, em 2010, participou na exposição e livro “Livro de Cópias”. Foi professor assistente na Academia de Arquitectura do Mendrisio e membro na unidade FORM, da Escola Politécnica Federal de Lausana. Actualmente, parte do corpo docente na Escola de Arquitectura de Marne-la-Valléé, em Paris.
Desenho Expositivo
Richard Venlet (AU)
Sediado em Bruxelas o trabalho do artista combina escultura, design de exposições e arquitectura. Produziu inúmeros projectos que formam ambientes compostos e circulares, redireccionando o espectador em configurações espaciais alteradas, fazendo-o ver a sua envolvente e tornar-se parte dela. Como artista que intervém deliberadamente no espaço expositivo, Venlet explora a produção arquitectónica através de colaborações regulares com artistas, arquitectos, curadores e institutos de arte.
Participantes
Atelier 2A+P/A (IT)
Fundada por Gianfranco Bombaci e Matteo Costanzo, este atelier de arquitectura que tem sede em Roma, opera em projectos urbanos e paisagísticos, com um foco na natureza e condição da cidade contemporânea. Além de terem sido premiados em vários concursos de arquitectura, participam regularmente em conferências e simpósios em todo o mundo. O trabalho dos 2A+P/A tem sido publicado em livros bem como revistas internacionais.
Atelier 51N4E (BE)
Liderado por Johan Anrys e Freek Persyn, 51N4E é um atelier internacional fundado em 2000. Com sede em Bruxelas, aspira a contribuir através de meios de design para a transformação social e urbana. Usam as ferramentas da arquitectura e do design para construir contextos propícios ao diálogo em cada projecto e gerar conhecimento juntamente com todas as partes envolvidas. Visam aumentar assim a inteligência colectiva ao criar projectos com um impacto mais amplo na sociedade.
Caruso St John Architects (UK)
Com escritórios em Londres e Zurique, e obras construídas em toda a Europa, o atelier Caruso St John Architects desenvolve projectos que vão desde grandes complexos urbanos, a projectos culturais e intervenções em contextos históricos. Paralelamente ao seu trabalho cultural, o atelier reúne uma carteira de projectos que intervêm no tecido de uma cidade.
aDVVT (BE)
O atelier aDVVT é o novo nome sob o qual Jan De Vylder, Inge Vinck e Jo Taillieu partilham o seu interesse e trabalho mútuo, muito antes de cada um deles, às vezes em colaboração uns com os outros. A sua colaboração iniciou-se muito antes do trio de arquitectos desenvolver e realizar os seus próprios projectos. O ponto de partida da aDVVT é abraçar não apenas o projecto, mas também a sua criação.
Baukuh (IT)
Fundado em 2004 por Paolo Carpi, Silvia Lupi, Vittorio Pizzigoni, Giacomo Summa, Pier Paolo Tamburelli e Andrea Zanderigo, o atelier Baukuh tem sede em Milão e Génova. Trabalham sem uma estrutura hierárquica ou um dogma estilístico e produzem projecto arquitectónico a partir de um método projectual racional e explícito, alicerçado numa compreensão crítica da arquitectura do passado.
Martina Bjorn (SE)
Martina Bjorn é fotógrafa e directora criativa. Nasceu na Suécia e estudou em Paris, onde se formou em arquitectura pela Academia de Artes, em 2008. O corpo de trabalho de Martina abrange desde ateliers de moda, a artistas, instituições de arte e design, revistas e empresas de arquitectura, de diferentes meios e escalas. Bjorn procura criar imagens elegantes e discretas usando a linguagem abstrata e sintética.
Simon Boudvin (FR)
Boudvin estudou em Paris, Artes e Arquitectura. Actualmente é professor de Arquitectura Paisagista em Edimburgo e Versalhes. Sem um estúdio permanente, a sua prática ao ar livre foca-se na mutação urbana e da paisagem. O seu trabalho centra-se na recolha, fotografia, descrição de objectos encontrados e partilha desta pesquisa permanente, no formato de exposições e publicações.
Matilde Cassani (IT)
 Arquitecta, lida com as implicações espaciais do pluralismo cultural na cidade ocidental contemporânea e move-se na fronteira entre arquitectura, instalação e design de eventos. As suas obras foram expostas em diversas instituições culturais, galerias de arte e publicadas em revistas da especialidade. Cassani fez parte da Bienal de Veneza em 2010 e 2012, das Trienais de Arquitetura de Chicago e de Oslo bem como da Manifesta 12. É professora no Politécnico de Milão e na Architectural Association de Londres.
Christ & Gantenbein (CH)
Fundado em Basileia, em 1998, por Emanuel Christ e Christoph Gantenbein, o estúdio conta com cerca de 60 arquitectos e obras premiadas como as renovações e ampliações dos Museu Nacional Suíço de Zurique e Kunstmuseum Basel, consolidando assim a sua posição como autores de espaços culturais. A sua abordagem háptica desafia os materiais, utilizando-os de uma forma sensível mas versátil.
Fala Atelier (PT)
Os Fala Atelier autodefinem-se como uma prática de arquitectura ingénua. O atelier foi fundado em 2013, no Porto, por Filipe Magalhães, Ana Luísa Soares e Ahmed Belkhodja. Têm leccionado em várias universidades e instituições de todo o mundo, e o seu trabalho tem sido amplamente exposto e publicado.
Fernanda Fragateiro (PT)
Com uma obra artística multifacetada, Fernanda Fragateiro explora o espaço nos seus diversos significados e manifestações fenomenológicas, sejam arquitectónicas, escultóricas, combinando encomenda privada e públicas. Através de uma estética minimalista da forma, cor e textura, o seu trabalho varia na escala e nos suportes utilizados.
Fosbury Architecture (IT)
Fosbury Arquitectos é um colectivo italiano de arquitectura e pesquisa com sede base em Milão e Roterdão, fundado em 2013. Envolvem-se numa ampla gama de projectos, desde estratégias urbanas para ambientes domésticos a fanzines independentes, ou labirintos. Premiados em vários concursos, vão participar na 1ª edição da Bienal de Arquitectura e Paisagem e na Triennale di Milano como curadores do pavilhão do Centro Urbano, em 2019.
Stefano Graziani (IT)
Stefano Graziani contribui com uma voz irreverente para o discurso artístico contemporâneo, tendo um papel activo no cruzamento entre fotografia, arte e arquitectura. As suas fotografias foram expostas internacionalmente por instituições como a Fondazione Prada em Milão, a Bienal de Arquitectura de Veneza e a Bienal de Artes Manifesta. Actualmente, Stefano ensina fotografia na Universidade de Veneza e no Instituto Superior para a Indústria Artística, em Urbino.
Sam Jacob (UK)
Sam Jacob é director do Sam Jacob Studio de arquitectura e design, uma prática cujo trabalho abrange escalas e disciplinas de design urbano através de projectos de arquitectura, design, arte e curadoria. Professor de Arquitectura da Universidade de Illinois em Chicago e Professor Convidado da Escola de Arquitectura de Yale. Foi co-curador do Pavilhão Britânico de Veneza (2014). Colunista e crítico de revista online Dezeen e editor de arte e editor da revista britânica Icon. Jacob foi director fundador do estúdio FAT Arquitectura, uma prática baseada em Londres que desenvolve um pensamento crítico sobre arquitectura e relação com a história e o ornamento.
Ania Jaworska (PL)
Ania Jaworska é arquitecta, designer e educadora. É mestre em arquitectura pela Cracóvia Univeridade de Tecnologia de Cracóvia e pela Academia de Arte de Michigan, EUA. O seu trabalho foi apresentado em eventos de arquitetura como a Bienal de Veneza e de Chicago, o MOMA, Museu de Arte Contemporânea de Chicago, na Graham Foundation entre outras instituições de renome. 
Priya Khanchandani (UK)
Escritora e investigadora (2018), é editora da Icon Magazine. Foi curadora do Pavilhão da Índia na Bienal de Design de Londres em 2018. Anteriormente, liderou o Programa de Artes para a Índia no British Council bem como no museu Victoria and Albert dirigindo o departamento Design Fund para aquisições contemporâneas.
Kuehn Malvezzi (DE)
Fundado em 2001 por Simona Malvezzi, Wilfried Kuehn e Johannes Kuehn em Berlim, o atelier foca-se na concepção de espaços públicos, museus e exposições, combinando arquitectura, design e curadoria. Foram responsáveis pelo projecto de arquitectura da Documenta 11, pela Colecção Friedrich Christian Flick no Hamburger Bahnhof - Museu de Arte Contemporânea de Berlim e pela Colecção Julia Stoschek em Dusseldorf. Kuehn Malvezzi também colaborou na reorganização uma série de colecções de arte de cariz contemporâneo e histórico, para vários museus.
Éric Lapierre (FR)
Eric Lápierre, curador geral da 5ªEdição da Trienal de Arquitectura de Lisboa e curador da exposição Economia de Meios
Éric Lapierre é arquitecto e teórico da disciplina. Fundador e director da Éric Lapierre Experience (ELEx) - com obras amplamente reconhecidas mundialmente – divide a sua actividade entre a área de projecto e o ensaio crítico. Lapierre é professor na Escola de Arquitectura de Marne-la-Vallée (Paris), na Escola Politécnica Federal de Lausana e foi professor convidado na Accademia de Arquitectura do Mendrisio, Universidades do Québec e Montreal, Lovaina e Gante. Ao longo do percurso já publicou diversos livros. ou É autor de “Identification d’une ville – Architectures de Paris”, 2002; Guide d’architecture de Paris 1900-2008, 2008; Le Point du Jour A Concrete Architecture, 2011; Architecture of The Real, 2004, e Se la forma scompare, la sua radice è eterna, 2017, entre outros.
David Leech Architects (UK)
Depois de trabalhar em vários ateliers europeus, incluindo Herzog de Meuron, Caruso St John architects e 6a architects em Londres, dePaor e Grafton architects ambos localizados em Dublin, David Leech estabeleceu a sua própria prática, onde explora a ideia de uma arquitectura economicamente rica. David é professor de arquitectura na Universidade Metropolitana de Londres e tem sido publicado em diferentes publicações especializadas, tal como nas revista italianas Domus e Casabella, nas Londrina Architectural Review e Architects Journal e na Architecture Ireland.
MAIO (ES)
Um atelier de arquitectura com sede em Barcelona e Nova Iorque que desenvolve uma diversificado leque de projectos, desde blocos de habitação ao planeamento urbano, a mobiliário ou desenho expositivo. Os membros do MAIO foram responsáveis pela revista espanhola Quaderns d'Arquitectura i Urbanisme (2011-16). Actualmente leccionam na Universidade da Columbia (EUA), na Architectural Association de Londres e na Escola de Arquitectura de Barcelona. Do MOMA (Nova Iorque), à Royal Academy (Londres) passando pelo Guggenheim (Bilbao) têm realizado exposições em diversos museus. MAIO é liderado por Maria Charneco, Alfredo Lérida, Guillermo López e Anna Puigjaner, que recentemente recebeu o Prémio Wheelwright, de Harvard.
Armin Linke (IT)
Nascido em Milão, vive em Berlim. Armin Linke trabalha em cinema e fotografia e combina esses diferentes formatos para esbater a fronteira entre ficção e realidade. Actualmente, trabalha num arquivo contínuo de atividades humanas e paisagens naturais e artificiais muito diversas, em colaboração com outros autores, desde artistas, designers, arquitectos, historiadores e curadores.
Valérie Mannaerts (BE)
Escultora e pintora, Valérie Mannaerts desenvolveu uma linguagem pessoal caracterizada pelo seu fascínio pelo real e pelo surreal, explorando as qualidades fisionómicas das coisas, questionando a relação entre as formas orgânicas e inorgânicas, a presença e autonomia dos objectos. Valérie Mannaerts cria formas híbridas, contraditórias e precárias, abertas ao acaso e formalmente circunscritas. O seu trabalho reside na fronteira entre imagem e objecto, de uma forma que lembra as preocupações surrealistas e, mais tarde, feministas com a cultura material e de imagem, o corpo e os estados de consciência.
Kulttuurisauna (FI)
Kulttuurisauna é uma sauna pública localizada na orla marítima de Merihaka, no centro de Helsínquia. Este banho público incorpora um programa educativo em arquitectura independente intitulado a The New Academy. Organiza conversas abertas, publicações e projectos em colaboração com universidades, ONGs e outras instituições.
Kersten Geers (Office KGDVS) (BE)
Fundado em 2002 por Kersten Geers e David van Severen. O atelier ganhou rapidamente reconhecimento internacional com as suas obras, com projectos mundiais. Em 2010 venceram o Leão Prateado da Bienal de Veneza como jovens arquitectos promissores e em 2013 e 2015 o Prémio Belga da Arquitectura. Os seus trabalhos já foram publicados em diversos meios da especialidade e exibidos em inúmeras galerias da Europa. Em 2016, participou na exposição central da Trienal de Lisboa A Forma da Forma, com curadoria de Diogo Seixas Lopes. 
Onsitestudio (IT)
São um atelier de arquitectura fundado em Milão em 2006, por Angelo Lunati e Giancarlo Floridi, ambos professores de projecto em arquitectura no Politécnico de Milão. Entre as obras mais relevantes, destacam-se o Hotel Duca d'Aosta (2015), o Pirelli Learning Center (2016) e o Brussels Hotel Palace (2018). O Onsitestudio acredita na estreita relação entre pesquisa académica e actividade profissional, combinando uma dimensão experimental com um controlo preciso das metodologias projectuais.
Philipp Schaerer (CH)
Arquitecto e artista plástico suíço. Desde 2014, é professor convidado no Instituto Federal Suíço de Tecnologia de Lausanne (EPFL). O seu trabalho tem sido objecto de múltiplas publicações e exposições. Está representado em várias colecções, entre as quais no MoMA Nova Iorque, no Centro Pompidou em Paris e no ZKM em Karlsruhe.
Francesca Torzo (IT)
Francesca Torzo estudou em Delft, Barcelona, Mendrisio e Veneza, fundando em 2008 o seu próprio atelier em Génova. Desde 2017 é professora na Escola de Arquitectura de Bergen e lecciona em várias universidades e instituições culturais. Em 2018 participou na 16ª Bienal de Arquitectura de Veneza – Freespace – e foi nomeada presidente da MVSF em Gante.
Bernard Tschumi (US)
Bernard Tschumi é arquitecto e vive entre Nova Iorque e Paris. O seu trabalho como teórico foi o que o tornou conhecido. Expôs e publicou The Manhattan Transcripts e escreveu uma série de ensaios teóricos intitulada Architecture and Disjunction. Das suas obras, destacam-se o Parc de la Villette, o Museu da Acrópole, e Le Fresnoy Center for the Contemporary Arts. Em 2014, o Pompidou expôs uma retrospectiva da sua obra, com itinerância na Basileia e Xangai.
Truwant + Rodet (CH)
Truwant + Rodet é um escritório sediado em Basel (Suíça), fundado por Charlotte Truwant e Dries Rodet. Os seus projectos, pesquisas e interesses exploram arquitectura, urbanismo paisagismo, arte e design. O atelier investiga a correlação entre o espaço/paisagem e as condições específicas que esta gera.
Jean-Benoit Vétillard (FR)
Jean-Benoit Vétillard fundou o seu atelier em 2014, desenvolvendo uma série de projectos que manifestam diferentes escalas de arte, cenografia e arquitectura. Actualmente é professor na Escola de Arquitectura Ville et des Territoires de Paris-Est. Para além do trabalho no atelier, foi orador convidado para várias conferências, em Itália e França e os seus projectos foram publicados em revistas da especialidade.
Lawrence Weiner (US)
Os textos de Lawrence Weiner foram expostos em todo o tipo de lugares ao longo das últimas cinco décadas e, embora se considere mais um escultor do que um conceptualista, está entre os pioneiros dos anos 60 na apresentação da arte como linguagem. Embora as obras de Weiner existam apenas como linguagem e possam ser exibidas em qualquer forma, ele está intimamente envolvido em manifestações, detalhando o tamanho da fonte, a textura da superfície e a colocação das letras de tinta ou vinil e, na verdade, muitas vezes inventando novas fontes.
Urtzi Grau (ES)
É arquitecto, director do Mestrado em Arquitectura e em Pesquisa da Universidade de Tecnologia de Sidney, co-fundador dos estúdios Fake Industries Architectural Agonism (FKAA) Gabriel & Guillermo Fernández-Abascal (GFA). Grau formou-se na Escola Técnica Superior de Arquitectura de Barcelona em 2000, foi premiado pela Universidade de Columbia em 2004 e actualmente está a concluir o seu doutoramento na Universidade de Princeton, dedicado à renovação urbana de Barcelona na década de 70.
Guillermo Fernández-Abascal (ES)
Fernández-Abascal é arquitecto e conferencista na UTS Sydney e co-diretor da GFA2 e GFA. Vive entre Sidney, Austrália e Santander, Espanha. O seu trabalho mais recente explora a dicotomia entre pesquisa e projectos através de diagramas, histórias, exposições, filmes, protótipos, habitação e edifícios públicos em todo o mundo. 
Yellow Office (IT)
YellowOffice, fundado em 2008 e com sede em Milão, é um escritório de arquitectura com um foco particular em arquitectura paisagista e urbanismo. A prática reúne várias escalas de processos de design: de estratégias territoriais, a espaços públicos, privados, parques, pavilhões, cemitérios, ou mesmo objectos, vídeos, ilustrações, mapas e exposições.
Point Supreme (GR)
Fundado em Roterdão em 2008, o estúdio foi criado por Marianna Rentzou e Konstantinos Pantazis, depois de terem trabalhado em Londres, Bruxelas e Tóquio. De volta à Grécia, estão sedeados na capital e os seus projectos foram publicados no livro “Projectos de Atenas”. Foram considerados uma das 20 personalidades mais influentes da Grécia pelo popular jornal grego LIFO e incluídos no directório de Arquitectos da revista britânica Wallpaper*.
6a architects
ARCHIZOOM
Assemble studio
BeL
Pablo Bronstein
Bruther
Lubna Chowdhary Studio
Koenraad Dedobbeleer
Dhooge & Meganck
Faissal El-Malak
Adam Nathaniel Furman
Cristina Goberna
HARQUITECTES
Bijoy Jain
Na Kim
Kensuke Koike
Cesare Leonardi e Franca Stagi
LIST
Barbas Lopes
Lütjens Padmanabhan Architekten
Arthur Mamou-Mani
Karel Martens
Giaime Meloni
Monadnock
Farshid Moussavi
Matt Mullican
Neutelings Rieddijk Architects
David Van Severen
Ortalli Verrier
Jessica Virginia Pappalardo
Bas Princen
Raqs Media Collective
Smith & Taylor Studio
Alison and Peter Smithson
Studio SNCDA
Studio Vacchini
Superstudio, Marina Tabassum Architects
Sinta Tantra
Gustavo Utrabo
Sumayya Vally
Nickisch Walder
L'Auc
ACTIVIDADES
Ao utilizar este website está a concordar com a utilização de cookies de acordo com o nossa política de privacidade.