Agricultura e Arquitectura: Do Lado do Campo

Fazendo um balanço da grave situação ambiental que o mundo atravessa, esta exposição pretende criar uma reflexão (actual e em retrospectiva) sobre a forte ligação entre as disciplinas gémeas de agricultura e arquitectura, e sobre o seu crescente divórcio desde a revolução industrial. Com a ajuda de cientistas agrícolas, activistas e designers, o objectivo é aprender a forma como exploraram de forma constante a hipótese de um futuro de privação de energia e quais seriam as suas consequências, para a redefinição e manutenção de territórios vivos. A agroecologia e a permacultura desenvolveram conceitos e estratégias úteis para imaginar uma tecnologia pós-industrial baseada numa economia radical de energia e recursos materiais.

The Valley Section

The Valley Section, Shelfmark Coll © The University of Edinburgh


E se considerarmos a permacultura não apenas como um tipo de arquitectura? É possível, hoje, redefinir a racionalidade da arquitectura e da economia de meios? A exposição está estruturada em três áreas principais: um espaço central com sete secções, uma ilustração em grande escala e uma área para documentários. Agricultura e Arquitectura: Do Lado do Campo é uma tentativa reflexiva e didáctica de reconectar estas duas disciplinas e enaltecer as aprendizagens que os arquitectos e urbanistas contemporâneos podem retirar desta escola de pensamento e acção.

Agenda
05
Out / 19:30 / Entrada livre Inauguração
Agricultura e Arquitectura: Do Lado do Campo
Garagem Sul – CCB

com curadoria de Sebastian Márot e lançamento de livro

Curador
Sébastien Marot (FR)
Sebastien Marot curador da exposição Agricultura e Permacultura: do lado do campo
Sébastien Marot é filósofo e escreve amplamente sobre a genealogia das teorias contemporâneas em arquitectura, desenho urbano e paisagismo. Com mestrado em Filosofia e doutoramento em História, é professor na Escola de Arquitectura de Paris-Este, professor convidado na EPFL (Lausana), e na Escola de Design de Harvard (num programa liderado por Rem Koolhaas e o atelier O.M.A). É autor e editor de livros, bem como colaborador em re-edições críticas. Editou o Le Visiteur (de 1995 a 2002) e o Marnes (desde 2010) e é autor de diversos livros como Sub-Urbanism and the Art of Memory (AA Publications 2003), a re-edição crítica The City in the City: Berlin, A Green Archipelago de Ungers e Koolhaas (Lars Müller 2013).